Cobertura do apagão na TV e no rádio

Para quem quis acompanhar as notícias do apagão de 10.11.2009 mesmo na escuridão, as rádios foram boas opções. CBN, Band News e Tupi FM, entre outras, transmitiram em tempo real não somente as informações que chegavam de suas reportagens, como conseguiram entrevistas com pessoas direta ou indiretamente influenciadas pela contingência (todos !), políticos e comentaristas (como Lúcia Hipólito, que deixou claro que estava à luz de velas antes da ligação — para a rádio com a qual conversava — cair). O mais interessante foi a interação com os ouvintes em geral, espalhados (na escuridão) por todo o Brasil, mas mandando mensagens via SMS e Twitter.

O Twitter, por sinal, “bombou”, para utilizar a expressão dos próprios locutores: twitteiros de muitas localidades enviavam informações sobre a apagão em suas cidades e bairros e mantinham o bom humor. Inevitável a piada sobre a estada de Madonna no Rio, que não teria sido afetada pelo apagão porque “estava com Jesus LUZ”… Até quem estava nos cinemas no momento do desligamento também mandava mensagens do tipo “acabou a luz no meio de This Is It, na hora da cena de Thriller… a culpa é de… Michael Jackson !”…

Mas foram as notícias ‘sérias’ que dominaram os boletins. Declarações — ao vivo ou por meio de porta-voz — de operadores do sistema elétrico, do governador do Rio (que estava em Brasília) e do prefeito de São Paulo, além do próprio Edson Lobão, ministro das Minas e Energia, foram veiculadas em tempo real pelas rádios enquanto a luz não era reestabelecida.

Na volta da energia, o Jornal da Globo trouxe William Waack e Christiane Pelajo quase que exclusivamente dedicado às notícias sobre o apagão. Sandra Passarinho estava ao vivo no Rio e outros reporteres atuavam mesmo com dificuldades em outros estados. Boris Casoy — que entrara também na Band News FM — estava ao vivo na Band, e o SBT teve Carlos Nascimento e Cintia Benini estavam na bancada. Em meio à enxurrada de informações (ou tentativa de), um desencontro aqui e ali no corte de imagens e no timing dos apresentadores, mas em geral o grande problema foi a ansiedade de obter informações sobre as causas do problema, onde hipóteses muitas vezes absurdas eram colocadas como perguntas aos entrevistados ao vivo.

Teve de tudo. Houve quem comparasse o apagão atual com o de 2001. Boris Casoy perguntou em entrevista se poderia ter sido ação de hackers. Na correria e nervosismo do “ao vivo”, a experiente Sandra Passarinho deu “boa noite” várias vezes a Christiane Pelajo quando entrava ao vivo nas ruas do Rio e chegou a citar que a cidade do Rio teria 16 milhões de habitantes. Muitos queriam previsões certeiras de quando a energia voltaria totalmente. O Programa do Jô, que era gravado, teve Ronaldo Fenômeno num proibitivo horário da madrugada, poucos devem ter assistido.

Update – Leia também:
Globo News x Record: Confusão em reportagem sobre apagão

~ por Tommy Beresford em novembro 11, 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: